terça-feira, 3 de maio de 2011

Atividade Ritmica - Hip Hop

Educação Física – Texto 
                                                                                                              

HIP HOP e STREETDANCE

Ao tratar do Hip Hop e do Streetdance, a intenção é considerar suas características rítmicas e seus aspectos mais amplos, que não se restringem a um estilo musical ou de dança. Ambas expressões socioculturais tornaram-se popular no Estado de São Paulo em meados da década de 1980, em manifestações que ocorreram, inicialmente, na capital paulista, nos arredores de estações de metrô no centro da cidade.
Há quatro elementos constituintes do Hip Hop: o rap ( rapper e DJ), o MC ( mestre de cerimônia ou apresentador do evento), o b-boy (break boy, streetdance ou dançarino de rua) e o grafiteiro (interessado na expressão gráfica da cultura urbana). Há, ainda, a aproximação de outros grupos socioculturais ao Hip Hop, acrescentando elementos a essa dinâmica na chamada “cultura de rua”, por exemplo: os jovens interessados no streetbaal (basquete de rua) ou no uso de skates.
O MC é o responsável pela organização e apresentação do evento, seja uma batalha entre DJs, um duelo entre rappers, um duelo entre rappers, um desafio de b-boys, um concurso de grafite ou um torneio esportivo (streetball ou skates). Os DJs são os responsáveis pela produção musical, os rappers pela elaboração das rimas, os b-boys pelos passos de dança e os grafiteiros pela expressão gráfica. Em todos os casos há destaque para o protoganismo juvenil de forma muito ampla, pois foi um movimento criado por jovens como manifestação de um estilo de vida que confrontava certos valores tradicionais.
Há quatro estilos principais de Streetdance: no breaking parece que as articulações estão sendo “quebradas” nos movimentos; no popping as articulações parecem estar “saltando” em espasmos musculares; no locking os movimentos das articulações dão a idéia de estarem “trancadas”, restringindo os movimentos; e no freestyle parece haver uma coreografia, mas a ênfase está na improvisação.
No Hip Hop há uma resistência aos movimentos padronizados e é valorizado o estilo pessoal, por isso não há passos que devem ser seguidos. No Streetdance, de maneira semelhante, a liberdade para criar os próprios movimentos é enfatizada, mas há passos considerados principais e que podem ser combinados em coreografias:


    Funky Chicken (Locking): movimento semelhante a uma ave quando abre as asas preparando-se para vôo.

    Scooby-Doo (Locking): movimentos nas pontas dos pés, jogo de quadril pernas para esquerda e/ ou para direita, braços estendidos.

    Skeetet Rabbit (Locking): no movimento inclina-se o tronco para um lado juntamente com flexão dos joelhos. O nome deste passo é próprio apelido de seu inventor, falecido em 2006.

    Back Slide/Moonwalk (Popping); deslizar para trás.

    Top-Rock (Breaking): movimentos feitos em planos altos.

    Foor-rock (Breaking): “trançando” as pernas continuamente e com as mãos em contato com o solo.

    Freeze (Breakink): finalização do movimento, mantendo uma posição fixa.
       
        O movimento Hip Hop é bem mais amplo que uma tendência de moda; consiste em toda uma produção cultural. É a busca por voz própria de grupos, em geral marginalizados, que manifestam seus interesses, e, ao fazerem isso, também buscam atender necessidades coletivas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário